quarta-feira, 15 de julho de 2020

Os Doze Signos segundo Trasilo de Alexandria: Tradução do Grego (Excerto)


Συγκεφαλαίωσις τοῦ πρòς Ἱεροκλέα Θρασύλλου πίνακος.


(...)

100 Ἔτι δὲ περὶ τῶν ιβ΄ ζῳδίον διαλαμβάωει ὅτι τὰ μὲν ἡγεμονικά, τὰ δὲ

λατρευτικά, καὶ τὰ μὲν τετράποδα, τὰ δὲ οὔ, καὶ τὰ μὲν στερεά, τὰ δὲ

διφυῆ, τά μὲν δίσωμα, καὶ τὰ δὲ ἔφυδρα, τὰ δὲ χερσαῖα, τὰ δὲ ἀμφίβια,

καὶ ἃ μὲν πολύσπερμα, ἃ δὲ πολύγονα, ἃ δὲ στεῖρα, ἃ δὲ σπαστικὰ καὶ

ἄλλα αἰνιγματώδη, καὶ τὰ μὲν κυρτοειδῆ, τὰ δὲ δίχρωμα. καὶ ποίοις

5 ἀνέμοις ἕκαστον τῶν ζῳδίων ἀπομεμέρισται, τίνα τε τούτων τίνος τῶν

ζ΄ ἀστέρων οἰκητήρια καὶ τίνα ὑψώματα καὶ λαμπήναι καὶ βασιλεῖαι·

τίνα τε τίνων ταπεινώματα.


(...)


Fim do Excerto




Tradução

Trasilo de Alexandria, Epítome Parisiense da Tábua



(...)
100 Sobre os doze signos, determina ainda que uns são dominantes, outros submissos; uns, quadrúpedes, outros não; uns têm uma natureza sólida, outros dupla; uns são bicorpóreos, outros aquáticos, outros terrestres, outros anfíbios; e uns têm múltipla descendência, outros 5 são férteis, outros estéreis, outros receptivos e outros ainda enigmáticos; uns são encurvados, outros bicromáticos. Atribuiu também aos quadrantes cada um dos signos e qual destes é o domicílio de cada uma das sete estrelas, quais são as exaltações, as carruagens e as regências; e quais destes são as quedas.
(...)


Fim do Excerto


Bibliografia

Trasilo de Alexandria, Tábua (Pínax) in Boudreaux, P., 1912, Catalogus Codicorum Astrologicum Graecorum, VIII/3: 99-101. Bruxelas: Henri Lamertin.

Sem comentários:

Publicar um comentário